Sobre

Olá!

Nós somos o Movimento 24 de Agosto!

OS NOSSOS IDEAIS

DEMOCRACIA

A Democracia é uma conquista eterna, um valor universal e inalienável, que possibilita com que nós executemos as nossas liberdades, participando na escolha do nosso futuro, na condução da política. Deste modo, é da máxima importância a participação de todos na vida política, indireta ou diretamente, sendo que o 24a visa defender a não só os valores democrático, como a participação dos cidadãos nas decisões políticas, da forma mais direta possível.

LIBERALISMO

O Liberalismo enquanto não só as liberdades individuas, como a própria liberdade económica, é um dos valores mais sólidos do Ocidente. Deste modo, o 24a pretende não só a promoção da liberdade económica e como de todas as liberdades individuais, que consideramos como indispensáveis para a felicidade humana e para o desenvolvimento económico e social.

SOLIDARIEDADE

A Solidariedade é um valor não só essencial para o desenvolvimento, como para a execução das liberdades individuais. Só através da Solidariedade se atinge a igualdade, e só através dessa se potencia o verdadeiro desenvolvimento. Assim, defendemos a Solidariedade por meio quer do Estado, quer dos privados como essencial em qualquer sociedade, de modo a garantir a felicidade e a igualdade.

EUROPEÍSMO

A UE representa uma enorme possibilidade para todos os estados-membro, possibilitando não só a melhoria das condições de vida, como o desenvolvimento económico e a entreajuda entre os povos europeus. Posto isto, pretendemos defender os valores europeus, os valores da união entre os povos europeus, como algo indispensável para o desenvolvimento e para a afirmação internacional da Europa e de Portugal.

LUSOFONIA

A comunidade lusófona representa uma enorme possibilidade para Portugal e para os demais membros, correspondendo a um vasto espaço económico e comercial, através do qual é possível não só o desenvolvimento económico e social, como a afirmação internacional. Assim, o 24a visa a promoção da lusofonia e dos valores lusófonos através da CPLP.

OS NOSSOS PRINCÍPIOS

1. Promoção da democracia e da participação dos cidadãos na vida política

2. Defesa das liberdades individuais

3. Fomento da solidariedade

4. Combate à corrupção

5. Elevação mundial da lusofonia

6. Apologia de uma Europa Unida, uma Europa dos Cidadãos

7. Promoção da regionalização de Portugal

8. Progresso da justiça

QUEM NOS INSPIROU

CÍCERO

106 - 43 aC

Advogado, filosofo, pretor e cônsul durante o período da Antiga Roma, vivendo na transição entre o período da República e do Império. Considerado como um homem honesto e conservador liberal, Cícero ficou conhecido pelas suas competências políticas e pelo seu debate com Catilina.

Cícero sempre foi um grande defensor da participação política, considerando que esta podia ter inúmeros riscos e perigos - nomeadamente o facto do povo tanto elogiar como criticar e de ter de lidar com homens desonestos - mas que, apesar de tudo, era da extrema importância os cidadãos participarem na vida política, dado que só assim impediam o sucesso dos desonestos.

Do mesmo modo que Cícero, o 24a, considera da máxima importância a participação dos cidadãos nas decisões políticas, da forma mais direta e honesta possível.

PÉRICLES

495 - 429 aC

Péricles é considerado como o maior estadista de Atenas, especialmente devido às suas contribuições para a formação da Democracia Ateniense.

O líder de Atenas teve um papel da máxima importância para a definição das bases da Democracia, nomeadamente quanto à participação de todos os cidadãos de forma direta, à igualdade entre eles e à decisão por maioria.


PÉRICLES

1632 - 1704

John Locke foi um filósofo iluminista e empirista inglês, defensor do Contrato Social, das liberdades e direitos individuais e da separação de poderes.

Locke foi um grande apologista do liberalismo, opondo-se ao absolutismo e ao abuso do poder por parte dos governantes.

Também nós, o 24a, consideramos que as liberdades individuais devem ser valores invioláveis e através dos quais se sustenta o próprio Estado.


ROUSSEAU

1712 - 1778

Jean-Jacques Rousseau foi um pensador e filósofo francês, apologista das liberdades individuais e da democracia, defendendo um governo baseado na vontade popular, sendo que esta está acima de tudo e todos.

A vontade popular é una e indivisível, segundo Rousseau, cabendo ao Estado não só garantir a segurança, harmonia e as liberdades - evitando as desigualdades e a exploração - como também se submeter a essa vontade geral. Rousseau defendia, ainda, a necessidade de se praticar o bem na política.


BASTIAT

1801 - 1850

Frédéric Bastiat foi um economista e escritor francês, grande adepto do liberalismo e do laissez-faire. Para Bastiat o papel do Estado devia ser mínimo, restringindo-se à promoção da liberdade e segurança, caso contrário o próprio Estado se viraria contra a população, explorando-os e pondo em causa os seus valores e liberdades.

Bastiat foi um dos precursores da Escola Austríaca de Economia, apologista da vontade individual e das liberdades como fator essencial para promover o crescimento e desenvolvimento.


STUART MILL

1806 - 1873

John Stuart Mill foi um filosofo e economista inglês, conhecido pelas suas contribuições quanto à análise económica, nomeadamente introduzindo-lhe um novo elemento - a moral.

Apesar de ser um grande apologista do laissez-faire, Mill era um defensor da promoção do bem-estar. Assim, para Mill, era a felicidade (os prazeres) que potenciava o desenvolvimento humano. Deste modo o Estado deveria promover esses prazeres, promovendo o bem-estar social, possibilitando, assim, além do desenvolvimento humano, plena igualdade e plena capacidade dos indivíduos exercerem as suas liberdades.


VON MISES

1881 - 1973

Ludwig Von Mises é uma das principais caras da Escola Austríaca de Economia e do Neoliberalismo. Amplo apologista das liberdades individuais e do capitalismo como o único modo de potenciar o desenvolvimento humano, social e económico.

Como muitos dos defensores do liberalismo, Mises, acreditava que um Estado demasiado intervencionista era um Estado controlador e, até, totalitário.

Assim, Mises, defendia um Estado mínimo, promotor das liberdades e do crescimento económico.


HAYEK

1899 - 1992

Nobel da Economia, grande nome da Escola Austríaca da Economia e um dos fundadores do Neoliberalismo, Friedrich Von Hayek sempre foi um grande defensor das liberdades individuais e da necessidade de um intervencionismo mínimo.

Hayek foi um grande crítico do intervencionismo, por permitir o controlo dos indivíduos, pondo em causa as suas liberdades e, deste modo, a sua felicidade e desenvolvimento, assim como do conservadorismo, que também acusava de ser demasiado controlador.

Para Hayek só a aposta nas liberdades individuais potenciava o desenvolvimento social e económico.


HAYEK

1899 - 1992

Francisco Sá Carneiro, foi um dos notáveis fundadores da nossa Democracia, no pós-25 de abril. Graças a si e as suas ideias, assim como as de outros nomes, Portugal conseguiu crescer e tornar-se numa democracia capaz de aderir às Comunidades Europeias e se destacar internacionalmente.

Fundador de um dos partidos mais influentes no quadro político nacional, o PSD, Sá Carneiro é conhecido por ser um grande defensor de um modelo democrático e social, onde a liberdade seria indispensável, mas sempre numa ótica não socialista.


BAIXA AQUI TODAS AS INFORMAÇÕES ACERCA DO NOSSO MOVIMENTO!

INTRODUÇÃO PRINCÍPIOS PROJETO